Topo
Blog do Nilson Xavier

Blog do Nilson Xavier

Relembre as crianças maltratadas das novelas

Nilson Xavier

08/04/2012 02h16

Durante mais de uma semana, no ar em Avenida Brasil, a garotinha Mel Maia comoveu o país pela sua atuação na novela e pelo drama de sua personagem, a menina Rita, que foi abandonada num lixão pela madrasta má (Carminha de Adriana Esteves). Personagens mirins que sofrem maus tratos são recorrentes em novelas, há muito tempo, e sempre com garantia de sucesso.

A atual trama das sete, Aquele Beijo, tem um orfanato como cenário, onde Olga (Maria Zilda), uma das proprietárias, não dá folga para as crianças, em especial os pequenos Tide (Frederico Volkmann) e Cléo (Duda Costa). Em Passione, trama de 2010, o autor Silvio de Abreu abordou a prostituição infanto-juvenil através da personagem Kelly (Carol Macedo), cafetinada pela própria avó, Dona Valentina (Daysi Lúcidi). Já em Mulheres Apaixonadas, de 2003, a menina Salete – estreia de Bruna Marquezine em novelas – perdia a mãe e ficava sob a guarda da avó impaciente e tirana, Dona Inês (Manoelita Lustosa).

Houve uma época em que melodramas envolvendo crianças maltratadas por adultos virou moda em nossa televisão. Tudo começou com o estrondoso sucesso de A Pequena Órfã, novela escrita por Teixeira Filho e Carmem Lídia, apresentada pela TV Excelsior entre 1968 e 1969. Na trama, a menina Toquinho (interpretada por Patrícia Aires, filha do ator Percy Aires) vivia no orfanato da megera Elza (Riva Nimitz), uma mulher desajeitada no trato com as crianças, ambiciosa e encrenqueira. Toquinho encontrava amparo e proteção nos braços do bondoso Velho Gui, vivido por Dionísio Azevedo.

O sucesso de A Pequena Órfã desencadeou na época uma série de novelas com crianças carentes, abandonadas e desprezadas: Sozinho no Mundo (Tupi, 1968) com o então menino Guto Franco, filho de Moacyr Franco; Ricardinho, Sou Criança, Quero Viver (Bandeirantes, 1968) com Dimitri Orico; Tilim (Record, 1970/1971) com Júlio César Cruz; Pingo de Gente (Record, 1971) com Elisa D´Agostino.

A trama da menina maltratada pela dona do orfanato e amparada por um velhinho bondoso retornou na TV em duas novelas: Sonho Meu (Globo, 1993-1994), com Carolina Pavanelli, Nívea Maria e Elias Gleizer; e Prova de Amor (Record, 2005-2006), com Júlia Magessi, Vanessa Gerbelli e Rogério Fróes.

Comente outras crianças desprezadas de nossas novelas!

Sobre o autor

Nilson Xavier é catarinense e mora em São Paulo. Desde pequeno, um fã de televisão: aos 10 anos já catalogava de forma sistemática tudo o que assistia, inclusive as novelas. Pesquisar elencos e curiosidades sobre esse universo tornou-se um hobby. Com a Internet, seus registros novelísticos migraram para a rede: em 2000 lançou o site Teledramaturgia (http://www.teledramaturgia.com.br/), cujo sucesso o levou a publicar o Almanaque da Telenovela Brasileira, em 2007.

Sobre o blog

Um espaço para análise e reflexão sobre a produção dramatúrgica em nossa TV. Seja com a seriedade que o tema exige, ou com uma pitada de humor e deboche, o que também leva à reflexão.