Blog do Nilson Xavier

Melodramática e sem humor, "Tempo de Amar" lembra as antigas radionovelas

Nilson Xavier

31/10/2017 12h00

Tony Ramos (Foto: reprodução)

Tempo de Amar“, a atração das seis da tarde da Globo, remete às antigas radionovelas. O texto, a trama e a narrativa corroboram essa impressão. Há ainda a trilha sonora, eficientemente pontuada. Sim, bastaria apenas ouvi-la, como no rádio. Mas daí perde-se o espetáculo visual oferecido pelo diretor artístico Jayme Monjardim, em fotografia, cenários, figurinos e arte.

Tempo de Amar” lembra as radionovelas pelo conteúdo – não pelo meio (de exibição). O autor Alcides Nogueira apresenta um texto perfeito. Dá gosto ouvir todos os personagens falando o português culto, dispensando o informal até nas cenas mais corriqueiras envolvendo os personagens mais informais. Há ainda, na trama, um quê de “O Direito de Nascer“, um ícone da era de ouro do rádio latino-americano.

As radionovelas se popularizaram entre as décadas de 1930 e 1950. “Tempo de Amar” conta uma história de época, que se passa no final da década de 1920, ambientada ora no interior de Portugal, ora no Rio de Janeiro. É assumidamente um “folhetim de raiz”, fazendo uso de todos os entrechos típicos do gênero. Porém, não abre mão de abordagens permitidas hoje que seriam inviáveis na época das radionovelas. “Tempo de Amar” não é uma novela anacrônica.

Mas nem por isso apresenta alguma novidade. Está dentro do espectro de nosso tempo, mas presa a um estilo do passado. Uma novela contemporânea antiga. Ou antiga contemporânea. A crítica maior vai ao excesso de sofrimento dos personagens. É um texto que pesa no melodrama, quase soturno, e não há alívio cômico, o que a aproxima ainda mais das radionovelas. Ou das “telelágrimas”, como eram chamadas as primeiras telenovelas, ainda presas ao estilo radiofônico.

O título mais apropriado seria “Tempo de Sofrer“, como bem lembrou o amigo Maurício Stycer em sua crítica (leia AQUI).

Siga no FacebookTwitterInstagram

Andreia Horta, Vitória Strada e Jackson Antunes (Foto: reprodução)

Sobre o autor

Nilson Xavier é catarinense e mora em São Paulo. Desde pequeno, um fã de televisão: aos 10 anos já catalogava de forma sistemática tudo o que assistia, inclusive as novelas. Pesquisar elencos e curiosidades sobre esse universo tornou-se um hobby. Com a Internet, seus registros novelísticos migraram para a rede: em 2000 lançou o site Teledramaturgia (http://www.teledramaturgia.com.br/), cujo sucesso o levou a publicar o Almanaque da Telenovela Brasileira, em 2007.

Sobre o blog

Um espaço para análise e reflexão sobre a produção dramatúrgica em nossa TV. Seja com a seriedade que o tema exige, ou com uma pitada de humor e deboche, o que também leva à reflexão.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Topo