Topo
Blog do Nilson Xavier

Blog do Nilson Xavier

"Orgulho e Paixão" e o medo da obra de Jane Austen virar pastelão na TV

Nilson Xavier

20/03/2018 20h07

Thiago Lacerda e Nathalia Dill (Foto: reprodução)

"Orgulho e Paixão", a nova novela das seis da Globo, estreia dessa terça (20/03), foi vendida como uma comédia romântica de época leve e colorida. Baseada na obra da escritora inglesa Jane Austen (1775-1817), a trama – escrita por Marcos Bernstein, com direção artística de Fred Mayrink – é de fato colorida, solar, destacando uma fotografia iluminada, arejada, figurinos esvoaçantes, em tom pastel, remetendo a pinturas impressionistas, o que aumenta a sensação da leveza prometida. Um contraste e tanto com as últimas produções do horário, "Novo Mundo" e "Tempo de Amar" – com propostas, digamos, mais soturnas quando comparadas a "Orgulho e Paixão".

Ofélia Benedito (Vera Holtz) e as filhas (Foto: João Miguel Jr/TV Globo)

O texto espirituoso, irônico, com humor sutil e elegante de Jane Austen foi transformado em uma comédia farsesca carregada nas gags. O estilo, muito apropriado para as novelas urbanas das sete horas, teve seu maior expoente em Walcyr Carrasco nas comédias românticas de época das seis horas, como "O Cravo e a Rosa", "Chocolate com Pimenta" e "Eta Mundo Bom". O primeiro capítulo foi ágil – ou melhor, acelerado. Do elenco, bem escalado, destaque nessa estreia para Nathalia Dill – ótima como a protagonista Elisabeta -, Vera Holtz e Gabriela Duarte. Alessandra Negrini (imbatível vivendo mulheres traiçoeiras, e já são tantas, mas faz tão bem que nem nos incomoda mais) promete uma boa dobradinha com Grace Gianoukas.

Bruna Griphão (Foto: reprodução)

Foi tudo muito bonito nesse primeiro capítulo de "Orgulho e Paixão". Uma ressalva para o medinho da obra de Jane Austen cair no escracho. A palavra "baile" foi dita… alguém contou? mais de 30 vezes, acho – ok, deu comicidade, eu mesmo embarquei! Mas já teve personagem caindo na lama do chiqueiro (ó Walcyr aí de novo!). E chiqueiro, sabemos, é um convite ao pastelão. Dali para torta na cara é um pulo.

Se bem que Jane Austen é muito pop: já teve até versão com zumbis no cinema! Aguardemos os próximos capítulos.

Siga no Facebook – Twitter – Instagram

Sobre o autor

Nilson Xavier é catarinense e mora em São Paulo. Desde pequeno, um fã de televisão: aos 10 anos já catalogava de forma sistemática tudo o que assistia, inclusive as novelas. Pesquisar elencos e curiosidades sobre esse universo tornou-se um hobby. Com a Internet, seus registros novelísticos migraram para a rede: em 2000 lançou o site Teledramaturgia (http://www.teledramaturgia.com.br/), cujo sucesso o levou a publicar o Almanaque da Telenovela Brasileira, em 2007.

Sobre o blog

Um espaço para análise e reflexão sobre a produção dramatúrgica em nossa TV. Seja com a seriedade que o tema exige, ou com uma pitada de humor e deboche, o que também leva à reflexão.