Topo
Blog do Nilson Xavier

Blog do Nilson Xavier

Como Emílio Dantas, vários astros da Globo estrearam em novelas na Record

Nilson Xavier

07/08/2018 07h00

Emílio Dantas | Paolla Oliveira | Chay Suede

O "Arquivo Confidencial" do "Domingão do Faustão" deste domingo (05/08) homenageou o ator Emílio Dantas, em ótimo momento de sua carreira, vindo de dois protagonistas de novelas da Globo, Rubinho de "A Força do Querer" e Beto Falcão de "Segundo Sol". O que o programa do Faustão não citou é que Emílio começou atuando na televisão fora da Globo, mais precisamente na Record. Foi essa emissora que lhe deu a primeira oportunidade como ator de TV. Primeiro em um especial de fim de ano, "Balada Baladão", em 2010. Depois a minissérie "Sansão e Dalila" (foto acima), em 2011, e as novelas "Máscaras" e "Dona Xepa", entre 2012 e 2013. Emílio estreou na Globo em 2015, na novela "Além do Tempo".

Assim como Emílio Dantas, alguns atores hoje conhecidos e renomados, começaram na concorrente.

Chay Suede: Depois de quarto colocado na quinta temporada do programa "Ídolos", na Record, Chay foi um dos escolhidos para protagonizar a novela "Rebelde", entre 2011 e 2012. Ele ainda participou de um episódio da série "Milagres de Jesus" antes de estrear na Globo, como o comendador José Alfredo jovem na primeira fase da novela "Império", em 2014.

Paolla Oliveira: Ela foi assistente de palco no programa "Passa e Repassa" do SBT, entre 1999 e 2002. Como atriz, a primeira novela de Paolla foi na Record: "Metamorphoses", em 2004. Só depois foi para a Globo, onde primeiro fez uma participação na temporada de 2005 de "Malhação", para em seguida atuar em sua primeira novela na casa: "Belíssima", atualmente em reprise no "Vale a Pena Ver de Novo".

Rodrigo Simas: No ar como o Ernesto em "Orgulho e Paixão", Rodrigo teve sua primeira chance na TV pela Record, na novela "Poder Paralelo", em 2009-2010. A estreia na Globo foi no ano seguinte, na novela "Fina Estampa". O ator não se desligou mais da emissora. "Orgulho e Paixão" é a sua sexta novela na casa.

Sophia Abrahão | Rodrigo Simas | Marina Moschen

Marina Moschen: Sucesso como a bruxa Selena da recém finalizada "Deus Salve o Rei", Marina é uma estrela em franca ascensão na Globo. Sua primeira chance na TV foi na Record, em 2015, na primeira fase da novela "Os Dez Mandamentos", na qual viveu Amália, papel que coube a Lizandra Souto na fase definitiva da trama. Na sequência, Marina foi escolhida para viver a protagonista da temporada "Seu Lugar no Mundo" da "Malhação". Depois atuou em "Rock Story" e "Deus Salve o Rei".

Se desconsiderarmos a "Malhação", um grande celeiro de atores iniciantes, esta lista fica bem maior.

Sophia Abrahão, outra estrela de "Rebelde" da Record, antes desta havia atuado nas temporadas de 2007 a 2009 de "Malhação". Sua volta à Globo foi em 2013, em "Amor à Vida".
A novela "Os Mutantes" (2008-2009), da Record, foi a primeira dos jovens atores José Loreto e Rômulo Arantes Neto – apesar de eles já terem atuado em temporadas de "Malhação".
Do elenco de "Orgulho e Paixão", temos alguns ex-Record que cabem nessa categoria:
Marcos Pitombo fez "Malhação" em 2006. A primeira novela foi na Record, "Os Mutantes". Atuou em quatro produções nesta emissora, até voltar para a Globo em 2015, em uma participação em "Babilônia";
Anaju Dorigon começou na TV na temporada 2014 da "Malhação". A primeira novela foi "Belaventura", na Record, em 2017. Retornou à Globo em "Orgulho e Paixão";
Laila Zaid fez sucesso nas temporadas de 2004 a 2006 da "Malhação". A primeira novela, no entanto, foi na Record, "Amor e Intrigas", em 2007.
Christine Fernandes e Tammy di Calafiori, do elenco de "Orgulho e Paixão", também são egressas da Record, mas com passagem anterior na Globo.

Também:
Ellen Roche começou no SBT, nos programas "Fantasia" e "Casa dos Artistas". A primeira novela, no entanto, foi "Metamorphoses" da Record, em 2004. Na Globo, depois de participações na "Turma do Didi", sua primeira novela foi em 2008: "Beleza Pura".
Raphael Viana, do elenco de "O Tempo Não Para", teve sua primeira oportunidade na TV em 2006, na Record, na novela "Bicho do Mato".
Gabriela Moreyra, a Renatinha de "Segundo Sol", também estreou em "Bicho do Mato", na Record. Entre vários trabalhos na emissora, foi protagonista de "Escrava Mãe", em 2016. "Segundo Sol" é a sua estreia na Globo.
Robertha Portella, também de "Segundo Sol", é outra egressa da Record, onde estreou em 2013, na novela "Dona Xepa".

Só a título de curiosidade:
Apesar de sua estreia em televisão ter sido a minissérie da Globo "JK", em 2006, a atriz Andreia Horta fez suas primeiras novelas na Record: "Alta Estação" (2006) e "Chamas da Vida" (2008).
Johnny Massaro também fez "Malhação" antes de fazer sucesso em novelas da Globo. Porém, sua estreia em televisão foi antes, em "Floribella", na Band (2005).
Letícia Colin, estrela de "Novo Mundo" e "Segundo Sol", estreou na TV em 2000, na Globo, na série "Sandy e Jr.". Depois de uma passagem pela "Malhação", em 2002, foi apresentadora do "TV Globinho", entre 2003 e 2004. A primeira novela foi "Floribella", na Band, em 2005. Em seguida, a atriz foi para a Record onde atuou em quatro produções, entre 2007 e 2012, com destaque para a personagem Vivi na novela "Chamas da Vida" (2008). O retorno para a Globo foi em 2013, na novela "Além do Horizonte".
Rômulo Estrela, o astro de "Deus Salve o Rei", também é um nome associado à Record, mas ele estreou em novelas na Globo ("Da Cor do Pecado", 2004).

Fotos: divulgação, por suas respectivas emissoras.
Siga no Facebook – Twitter – Instagram

Sobre o autor

Nilson Xavier é catarinense e mora em São Paulo. Desde pequeno, um fã de televisão: aos 10 anos já catalogava de forma sistemática tudo o que assistia, inclusive as novelas. Pesquisar elencos e curiosidades sobre esse universo tornou-se um hobby. Com a Internet, seus registros novelísticos migraram para a rede: em 2000 lançou o site Teledramaturgia (http://www.teledramaturgia.com.br/), cujo sucesso o levou a publicar o Almanaque da Telenovela Brasileira, em 2007.

Sobre o blog

Um espaço para análise e reflexão sobre a produção dramatúrgica em nossa TV. Seja com a seriedade que o tema exige, ou com uma pitada de humor e deboche, o que também leva à reflexão.