Topo
Blog do Nilson Xavier

Blog do Nilson Xavier

Há 20 anos, novela "Brida" antecipava o fim da TV Manchete

Nilson Xavier

24/10/2018 17h55

Carolina Kasting como Brida (fotos: divulgação)

Problemática produção da TV Manchete, a novela "Brida", exibida entre agosto e outubro de 1998, agravou ainda mais a crise financeira da emissora, culminando com o seu fim, em maio de 1999. Há exatos 20 anos, a novela era tirada do ar sem maiores explicações. A Manchete agonizava.

A novela foi baseada no best-seller de Paulo Coelho. O fato do livro ter sido um sucesso de vendas (na época da estreia da novela, ele já havia sido lançado 86 vezes) excitava a emissora a investir em "Brida". A produção tinha um custo caro para os padrões da Manchete. Inclusive com cenas gravadas na Irlanda. Mesmo não sendo uma novela de época, os recursos que precisavam ser utilizados se mostraram dispendiosos. Mas a direção da rede decidiu arriscar.

Os patrocinadores tinham um contrato de risco com a emissora. De acordo com esse contrato, só haveria patrocínio se a novela passasse dos 5 pontos de audiência. A previsão da Manchete era de que a novela atingisse 10 pontos, mas a audiência estacionou nos 2. Sem patrocínio, a rede ficava no prejuízo. Mesmo recorrendo às velhas fórmulas para alavancar a audiência – como erotismo -, a novela não emplacou.

"Brida" significava o desperdício do que poderia ter sido uma ótima história e a conseqüência da situação econômica do país. Aliado aos problemas da novela, os juros das dívidas da TV Manchete cresciam. Em outubro de 1998, o elenco e equipe técnica entraram em greve por falta de salários. A direção da emissora informou o elenco "que o fracasso da novela esgotou os recursos da empresa".

Sem ter o que fazer, a Manchete decidiu tirar "Brida" do ar: em 23 de outubro de 1998 a emissora interrompeu subitamente a trama, apresentando uma narração que explicava qual seria o desfecho da história. O final narrado pelo locutor oficial da Manchete, Eloy de Carlo, foi improvisado naquele dia, no qual poucos imaginavam o que estava acontecendo. A pergunta era uma só: "a novela acabou?" Ninguém sabia ao menos se ela voltaria ao ar na segunda-feira seguinte.

Anúncios de uma reprise de "Pantanal" começaram a ser exibidos. Sem anunciar o horário de exibição, muitos acreditaram que se abriria um novo horário de novelas. Mas "Brida" fora interrompida e "Pantanal" a substituiu em seu horário. Juntamente com o fim da novela, o restante da programação da emissora também se esvaziava.

Pouco mais de 6 meses após o último capítulo exibido de "Brida", a TV Manchete fechou definitivamente suas portas, em maio de 1999, depois de 16 anos no ar.

Perguntado sobre o papel de "Brida" no fim da TV Manchete, informou Elmo Francfort, autor do livro "Rede Manchete: Aconteceu Virou História":
"Só se pensar em termos de custos de produção, porque foi um processo. As audiências dos programas em geral já vinham caindo e as dívidas da emissora, já existentes, só aumentavam. Não dá para atribuir apenas à 'Brida' a falência. Apostaram as fichas na novela por ser diferente, com outro acabamento, e um texto best-seller, sucesso nas livrarias em todo mundo. Demonstrou mais uma vez a ousadia que era a marca da Manchete, que dessa vez, infelizmente, não atingiu a meta esperada."

AQUI tem tudo sobre "Brida": trama, personagens, elenco completo e mais curiosidades.

Siga no Facebook – Twitter – Instagram

Sobre o autor

Nilson Xavier é catarinense e mora em São Paulo. Desde pequeno, um fã de televisão: aos 10 anos já catalogava de forma sistemática tudo o que assistia, inclusive as novelas. Pesquisar elencos e curiosidades sobre esse universo tornou-se um hobby. Com a Internet, seus registros novelísticos migraram para a rede: em 2000 lançou o site Teledramaturgia (http://www.teledramaturgia.com.br/), cujo sucesso o levou a publicar o Almanaque da Telenovela Brasileira, em 2007.

Sobre o blog

Um espaço para análise e reflexão sobre a produção dramatúrgica em nossa TV. Seja com a seriedade que o tema exige, ou com uma pitada de humor e deboche, o que também leva à reflexão.