Topo
Blog do Nilson Xavier

Blog do Nilson Xavier

O que "Segundo Sol" tem a ver com as famílias Addams, Buscapé e Dó-Ré-Mi?

Nilson Xavier

25/10/2018 20h50

Uma família esquisita de dar medo. Uma família toda errada. E uma família musical formada pela mãe e seus rebentos. Qualquer semelhança é só coincidência mesmo.

Apelidei os Athaydes de "Segundo Sol" de Família Addams. Não que houvesse algo cômico, como há em Gomez, Mortícia, Tio Chico, Vandinha, Feioso, Tropeço e a Vovó. Aliás, tutti buona gente os Addams. Esquisitos, mas boa gente. De fato, não há nada de engraçadinho no clã de Severo (Odilon Wagner), Zefa (Cláudia di Moura), Roberval (Fabrício Boliveira), Edgar (Caco Ciocler), Karen (Maria Luísa Mendonça), Rochelle (Giovanna Lancelotti) e Manu (Luísa Arraes). A referência aos Addamns fica por conta do apelo grotesco, freak, dos Athaydes.

A Família de Beto Falcão está mais para Família Buscapé – lembra? tem a versão em seriado dos anos 60, o filme de 1993 e o desenho animado com ursos. Em comum, a comicidade embasada no erro. Trata-se de uma família errática. Dodô (José de Abreu), Naná (Arlete Salles), Beto (Emílio Dantas), Ionan (Armando Babaioff), Clóvis (Luís Lobianco), Gorete (Thalita Carauta), o pequeno Badu (Davi Queiroz) e o pródigo Remy (Vladimir Brichta) mais dão com os tiros n´água do que acertam. Uns caipiras baianos.

Essa não fui eu quem inventou: outro dia, ouvi na novela a Laureta (Adriana Esteves) se referir à família de Luzia (Giovanna Antonelli) como a Família Dó-Ré-Mi, do famoso seriado dos anos 70. Talvez por que fosse musical: além de Beto, Luzia cantava lá no início e é DJ. Ou por tratar-se de uma mãe e seus filhos, Ícaro (Chay Suede), Manu (Luísa Arraes) e agora Valentim (Danilo Mesquita). Ainda tem a irmã Cacau (Fabíula Nascimento) e o amigo Groa (André Dias). A família Dó-Ré-Mi original (Partridge) era composta pela mãe Shirley, os filhos Keith, Lauren, Danny, Chris e Tracy e o empresário Rubem.

Siga no Facebook – Twitter – Instagram

Sobre o autor

Nilson Xavier é catarinense e mora em São Paulo. Desde pequeno, um fã de televisão: aos 10 anos já catalogava de forma sistemática tudo o que assistia, inclusive as novelas. Pesquisar elencos e curiosidades sobre esse universo tornou-se um hobby. Com a Internet, seus registros novelísticos migraram para a rede: em 2000 lançou o site Teledramaturgia (http://www.teledramaturgia.com.br/), cujo sucesso o levou a publicar o Almanaque da Telenovela Brasileira, em 2007.

Sobre o blog

Um espaço para análise e reflexão sobre a produção dramatúrgica em nossa TV. Seja com a seriedade que o tema exige, ou com uma pitada de humor e deboche, o que também leva à reflexão.