Blog do Nilson Xavier

Sabiá, Kikito e outros 6 coadjuvantes que brilharam em "A Força do Querer"

Nilson Xavier

18/10/2017 21h36

Jonathan Azevedo | Karla Karenina | Silvero Pereira

Eles não são meras orelhas, personagens que servem apenas para ouvir o que um outro pensa. Ou escadas, personagens que dão suporte a outros. São coadjuvantes que tem uma importância no desenvolvimento de uma trama e que acabam crescendo ou se destacando. Nesta relação, me limito a listar 8 deles que brilharam em “A Força do Querer“, vividos por atores até então pouco conhecidos do grande público.

Jonathan Azevedo | Hylka Maria

Jonathan Azevedo – Sabiá
Sabe a máxima “ia morrer, mas gostaram tanto que ficou“? Se aplica ao bandido Sabiá, chefe do tráfico no Morro do Beco. O personagem voltou para permanecer pelo resto da novela. As gírias e o palavreado característico são a marca registrada de Sabiá. Apesar do peso dos crimes em suas costas, ele caiu nas graças de Elvira (Betty Faria) e do público. Quem já assistiu a alguma entrevista do ator Jonathan Azevedo, percebeu que Sabiá é uma criação: o personagem nada tem a ver com o ator. Que interpretação! Jonathan merece o sucesso que vem fazendo.

Hylka Maria – Aléssia
A atriz já tem uma vasta galeria de personagens em novelas. Porém, certamente, nenhuma lhe deu tanta repercussão quanto a periguete Aléssia, mulher de Sabiá e amiga e confidente de Bibi (Juliana Paes). Aléssia serve de orelha, mas não limita-se a escutar: também alerta e aconselha a Perigosa. E é toda cheia de personalidade!

Silvero Pereira como Nonato e Elis Miranda

Silvero Pereira – Nonato
Uma das grandes revelações da novela, seu talento pode ser medido na comparação de Nonato, o sisudo motorista de Eurico (Humberto Martins), com a esfuziante Elis Miranda, sua personagem quando está longe do escritório, do uniforme e do discreto rabo-de-cavalo. Junto ao talento do ator, a importância do texto de Glória Perez dando visibilidade ao universo LGBT.

Marcos Junqueira – Kikito
Ele tem nome de prêmio de cinema. Premiado foi o ator! Kikito nem tem tantas falas assim. Mas seu nome tem sido repetido em 8 de 10 cenas envolvendo Bibi Perigosa (Juliana Paes). O braço direito de Rubinho e Sabiá (Emílio Dantas e Jonathan Azevedo) também serviu para acobertar as puladas de cerca do ex de Bibi. Ao ator Marcos Junqueira coube a tarefa de conter as explosões da Perigosa. Pensa que é fácil?

Marcos Junqueira com Emílio Dantas e Daniel Zettel

Karla Karenina – Dita
A atriz cearense se destacou na novela com um trabalho meticuloso: Dita é reservada, contida, se expressa com gestos e olhares. E quase nunca sorri. Deve ser o peso da culpa de ver a patroa Silvana (Lília Cabral) se afundar no vício do jogo e não ajudá-la. Cúmplice, Dita acoberta as maluquices de Silvana e ainda leva um por fora. Deve estar rica! Sugestão de finais para Dita: devolver o dinheiro que ganhou por anos escondendo o vício da patroa, ou abandonar a casa dela para viver no apartamento de luxo que já deve ter comprado com esse dinheiro.

Maria Clara Spinelli – Mira
Mira é outra que, aparentemente, parecia apenas uma orelha, de Irene (Débora Falabella) no caso. Porém, a secretária ganhou espaço próprio ao encenar o comportamento desesperado de quem enxerga a realidade que a cúmplice não conseguiu alcançar. Talvez Mira representasse o ponto de equilíbrio para a loucura de Irene. Desestabilizada, Mira caiu e Irene foi junto – inclusive literalmente!

Karla Karenina | Maria Clara Spinelli

João Bravo – Dedé
O filho pequeno de Bibi e Rubinho (Juliana Paes e Emílio Dantas) teve cenas de gente grande durante a novela. À medida que a trama foi avançando, cresceram suas participações e o carinho do público. Como esquecer os momentos de choro e a sequência de seu aniversário?Já li comparações de João Bravo com Bruna Marquezine, que era um regadorzinho quando criança (de tanto que chorava nas novelas).

Lorenzo Souza – Ruyzinho
Este não chegou a atuar de verdade. Bebê de colo, Lorenzo chamou a atenção pela alegria sempre estampada no rostinho e pelo entrosamento com o elenco do seu núcleo familiar. Remete a outros bebês de novelas que conquistaram o público pela graciosidade, como Júlia Magessi, a netinha de Vera Fischer em “Laços de Família” (2000-2001), e Beatriz Bertú, a bebê da novela “Bebê a Bordo” (1988-1989).

João Bravo | Ísis Valverde com Lorenzo Souza

A proposta aqui foi citar os atores menos conhecidos do grande público. Não entram nessa lista, além dos personagens principais (Bibi, Jeiza, Ritinha, Rubinho, Caio, Zeca, Ruy, Ivan, Joyce, Eugênio, Irene, Eurico, Silvana), os coadjuvantes que também se destacaram interpretados por atores já conhecidos (Aurora, Heleninha, Edinalva, Abel, Nazaré, Garcia, Elvira, Simone, Biga, Zu, Carine e outros). 

Fotos: Divulgação/TV Globo.
Siga no FacebookTwitterInstagram

Sobre o autor

Nilson Xavier é catarinense e mora em São Paulo. Desde pequeno, um fã de televisão: aos 10 anos já catalogava de forma sistemática tudo o que assistia, inclusive as novelas. Pesquisar elencos e curiosidades sobre esse universo tornou-se um hobby. Com a Internet, seus registros novelísticos migraram para a rede: em 2000 lançou o site Teledramaturgia (http://www.teledramaturgia.com.br/), cujo sucesso o levou a publicar o Almanaque da Telenovela Brasileira, em 2007.

Sobre o blog

Um espaço para análise e reflexão sobre a produção dramatúrgica em nossa TV. Seja com a seriedade que o tema exige, ou com uma pitada de humor e deboche, o que também leva à reflexão.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Topo