Blog do Nilson Xavier

“Escrava Mãe” entregou o que o público esperava: o feijão com arroz bem feito

Nilson Xavier

09/01/2017 20h33

Gabriela Moreyra e Thaís Fersoza (Foto: Edu Moraes/Record)

Gabriela Moreyra e Thaís Fersoza (Foto: Edu Moraes/Record)

Chegou ao fim nessa segunda-feira (8/1) a saga de Juliana, a “Escrava Mãe” da Record, vivida pela atriz Gabriela Moreyra. Ao longo de seus mais de sete meses de exibição, a novela – de autoria de Gustavo Reiz – revelou-se uma grata surpresa – e enfrentou a concorrência direta com o sucesso de “Haja Coração”, da Globo.

O público recebeu bem a trama, que manteve-se sempre em segundo lugar na audiência, totalizando uma média de 11 pontos no Ibope da Grande São Paulo. Coprodução da emissora paulista com a Casablanca, tudo em “Escrava Mãe” representou um avanço na dramaturgia da Record. Não apenas porque foi a primeira gravada em 4K (Ultra HD), mas também pelos cenários, figurinos e caracterizações, iluminação, cidade cenográfica e direção (geral de Ivan Zettel).

O elenco enxuto (apenas 35 atores fixos) e bem escalado permitiu ótimos momentos à maioria. Brilharam Thaís Fersoza, Roberta Gualda, Bete Coelho, Jussara Freire, Luiza Tomé, Léo Rosa, Adriana Lessa, Lidi Lisboa e Jayme Periard. O casal protagonista Gabriela Moreyra e o português Pedro Carvalho, apesar de altos e baixos, seguraram com garra seus personagens.

Nada disso valeria não fosse o texto bem amarrado de Gustavo Reiz. O maior mérito do autor foi ter obtido um bom resultado sem a avaliação do público – a novela estava engavetada e foi ao ar já inteiramente gravada. Ainda que Reiz não tenha ousado na narrativa, “Escrava Mãe” tinha o apelo de uma história universal costurada com os mais esgarçados clichês do folhetim de forma competente, dosada e segura.

Guardadas as devidas proporções, pode-se traçar um paralelo com a novela das nove da Globo, “A Lei do Amor”, que pena para encontrar o seu caminho, tateando em meio à vontade do público – um contraponto com a trama mais simples de “Escrava Mãe”, que trilhou caminhos seguros sem a interferência da audiência. O êxito da novela talvez se explique por ela entregar o que público já espera dessa história. Sabe o feijão com arroz bem feito? Em suma, é isso.

Siga no Twitter – FacebookInstagram

Sobre o autor

Nilson Xavier é catarinense e mora em São Paulo. Desde pequeno, um fã de televisão: aos 10 anos já catalogava de forma sistemática tudo o que assistia, inclusive as novelas. Pesquisar elencos e curiosidades sobre esse universo tornou-se um hobby. Com a Internet, seus registros novelísticos migraram para a rede: em 2000 lançou o site Teledramaturgia (http://www.teledramaturgia.com.br/), cujo sucesso o levou a publicar o Almanaque da Telenovela Brasileira, em 2007.

Sobre o blog

Um espaço para análise e reflexão sobre a produção dramatúrgica em nossa TV. Seja com a seriedade que o tema exige, ou com uma pitada de humor e deboche, o que também leva à reflexão.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Blog do Nilson Xavier
Topo